15/02/2011

Se pudesse ser o que não sou

Se pudesse ser o que não sou,
Seria ave para voar
E reencontrar
Tudo o que o vento me levou.
Peixe para nadar
Por entre a eterna fonte de vida
Ou árvore enraizada na terra
Que quando sua existência cessar
Partirá deste mundo erguida.

Se pudesse ser o que não sou,
Seria uma gota de chuva
Que cai ignorada, nua.
O raiar do sol de uma tarde em Cuba
Ou a indiscreta lua
Que numa qualquer noite solitária
Me faz companhia, iluminando-me a rua.

Se pudesse ser o que não sou,
Uma alma rebelde e livre,
Alma essa que um dia já tive.
Partiu e um pouco de mim levou.

Não quero ser mais nada nem ninguém,
Estou feliz com quem sou.

14/02/2011

Pequenos pedacinhos

Por entre escombros do que era
Relembro o que nunca fui
E aquilo que poderia ter sido
Enquanto meu "eu" rui.
Cai de maneira abrupta
Deixa para trás
Pequenos pedacinhos
De ternura e carinho
Que tanto gostava em pequenino.
Agora o moço está crescido
E já não os tem
E no fundo só procura alguém
Que lhos devolva.
Amor retribuido por entre olhares
Palavras de amor, mesmo sem saber...
É a magnificiência de amar sem querer.
E os pequenos pedacinhos
Que lá atrás deixei
De amor pleno
E tudo o que te dei:
Os de amizade e compreensão
Os de respeito e admiração
Os de apoteose e felicidade
Os de plenitude e cumplicidade...
Tanto preciso e nada me dás.
Podias dar-me o Mundo,
Podias dar-me tudo!
Seriam apenas pequenos passinhos.
Tudo o que eu queria
Era ter de volta aqueles pequenos pedacinhos.

Quem sou eu?

Sou eu, sou alguém.
Sou eu, um zé ninguém.
Sou tudo,
Sou nada.
Vejo uma porta, abro-a
E eu ao invés,
Mantenho-a fechada.
Que belo!
Que horror!
Amo amar,
Odeio o amor.
Adoro a vida!
A vida não presta.
"Tantas contradições,
Que coisa esta!
Larga já essa caneta!"

- Quem sou eu?
- Um louco!
- Não, um poeta.

Desenvolvimento



Foi no passado dia 22 de Janeiro que teve lugar um dos mais importantes e memoráveis dias da minha vida. A apresentação do meu primeiro livro, "Por amar demasiado". O título obviamente não foi escolhido ao acaso. Decidi intitular desta forma a minha primeira obra pois a sua concepção resulta de um imenso amor que sinto pela Poesia. Foi uma noite absolutamente magnífica. Diria mais, inenarrável. Obrigado a todos os presentes.
Bom, após toda a correria que editar e apresentar um livro implica tenho finalmente algum tempo livre. Dedicar-me-ei de novo a este meu projecto, o blog.

Por intermédio da professora de Português Isabel da ESA/3 de Amarante, o Poema de minha autoria "Inspiração" encontra-se submetido a um concurso de Poesia ao nível do Secundário. Tenho ainda três Poemas não editados submetidos ao concurso "Dar voz à Poesia". Espero de ambos, receber também uma menção honrosa. Por fim, uma versão diferente da publicada no livro de "Roubaram-me a Poesia" integrará o livro "Prémio Literário Valdeck Almeida de Jesus 2010". Embora não se encontre entre os vencedores, nem tão pouco tenha recebido uma menção honrosa, foi com apreço que tomei conhecimento de que o Poema de minha autoria foi escolhido para integrar o livro de entre centenas e centenas de submissões.



Até breve!,
José Pires

P.S. - http://www.euedito.com/por-amar-demasiado.html - Link para comprar o livro online.

Para encomendar o livro com dedicatória/autógrafo ou qualquer assunto relacionado com o autor:

jose_lm_pires@hotmail.com

02/09/2010

Viva!

Só cá dei um saltinho para que não se esqueçam que este espaço ainda existe! Como podem verificar existem algumas actualizações... Bom, deixo o suspense no ar. Em breve anunciarei "oficialmente" e divulgarei.

O sempre vosso,
José Pires
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.